Escola de Aplicação realiza Desafio do Piquete da Diversidade Cultural | Universidade Feevale

Escola de Aplicação realiza Desafio do Piquete da Diversidade Cultural

04/09/2020 - Atualizado 15h45min

Evento abordará a formação e a diversidade da população gaúcha

piquete da diversidade

A Escola de Aplicação Feevale realizará, entre os dias 8 e 11 de setembro, o Desafio do Piquete da Diversidade Cultural. O evento, que é direcionado aos estudantes da Instituição, será um momento para refletir sobre a formação e a diversidade cultural da população gaúcha. A atividade acontecerá de forma virtual, por meio da plataforma Blackboard Collaborate.

O Desafio do Piquete da Diversidade Cultural será dividido em dois momentos: para os estudantes da Educação Infantil até o 3º ano do Ensino Fundamental, estarão disponíveis vídeos sobre a formação do povo gaúcho e, também, como é a rotina de um gaúcho. A partir disso, eles terão o Desafio Origens, que propõe a elaboração de um navio (feito com material escolar) com dados e origens de famílias gaúchas; já os estudantes das últimas etapas do Ensino Fundamental e do Ensino Médio participarão de workshops diários com convidados especializados em cada povo que forma o Rio Grande do Sul.

Esse evento é um momento de reflexão muito importante, pois, mesmo no ambiente virtual, a escola faz acontecer um dos eventos mais importantes do calendário letivo, que apresentará diversas atividades para abordar a diversidade cultural e para que possamos refletir, além do ambiente escolar, o que é ser gaúcho”, afirma o professor Everton Henrique Cerri, integrante da comissão organizadora do Desafio do Piquete da Diversidade Cultural.

Programação dos workshops:
Dia 8 de setembro, terça-feira
10h: Alemães, com Paulo Valmor Heckler, sócio proprietário do Esculturas Parque Pedras do Silêncio, de Nova Petrópolis.
10h: Portugueses, com Humberto Iracet Brietzke, bacharel em Direito e Filosofia e pesquisador da cultura portuguesa; e Bruna Graziele Apolinário Martins, brasileira que reside em Portugal.


Dia 9 de setembro, quarta-feira
10h: Espanhóis, com Andrea Franco, fundadora da Escola de Dança Flamenca Tablado Andaluz
10h: Africanos, com Nadir Maria de Jesus, educadora social militante na defesa dos movimentos sociais e ex-chefe do departamento de Igualdade Racial da Secretaria de Direitos Humanos de São Leopoldo


Dia 10 de setembro, quinta-feira
10h: Japoneses, com Leila Osaki, integrante da Colônia Japonesa de Ivoti
10h: Italianos, com Sandro Giordani, membro do Ponto de Cultura, de Bento Gonçalves


Dia 11 de setembro, sexta-feira
9h: Gaúchos, com os professores da Escola de Aplicação das áreas das Ciências Humanas
10h: Povos Originários, com Soraia Sales Dornelles, doutora em História Social pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e líder do grupo de pesquisa Indígenas na História do Maranhão da Universidade Federal do Maranhão (UFMA)